quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Reticência 41

Olhei seus olhos, eles cantam
sonhei com sua boca, muda
toquei em sua mão, que sente
amei seu coração, inocente.
Meu amor é repentino
esse amor, meu assassino.

5 comentários:

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

é... o amor nos consome que as vezes parece que vai nos matar.

Luana Gabriela disse...

Que lindo.

O amor é o maior serial killer de todos os tempos, fato.

Bjos

Tiago Moralles disse...

Engraçado, a gente sempre morre a cada novo amor.

The Blues Is Alright disse...

Era uma vez o amor. Daí, ele morreu. Fim.

renata carneiro disse...

e como já dizia o poeta, é bom demais morrer de amor e continuar vivendo...

beijo!