sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Reticência 17

minto,
desminto,
faço e refaço,
e tento aguentar, assim,
meu coração faminto
por verdades que não existem, de fato.

4 comentários:

Pequena Poetiza disse...

procure verdades pra vc sim
mas sabendo que elas podem se quebrar
e aí reconstrua outras de novo
as verdades tem prazo de validade sempre
talvez tenhamos que arranjar um outro nome pra elas.

beijos

Vital disse...

as verdades também se reticenciam...

Maryama* disse...

Gostei da musicalidade!

Mai disse...

Olá, Mariana, Eu creio que há, na poesia, algo atemporal que é simplesmente da ordem de um saber poético. Você é tão jovem e tão repleta de poesia no que escreve aqui e não se explica...
Algo assim tão simples, verdadeiro e talvez por isto mesmo, transbordante em beleza.
Como tudo aquilo que, pequeno, se condensa e fica cheio de significado. É é lindo este teu poema.

Perfeito!
Abraços e boa semana.