quarta-feira, 11 de novembro de 2009

reticência 11

Pois é, vida...
Quando fores embora, sentirei sua falta.
Não és rato, não sou gato.
Então, porque você não corre aqui pra eu te aproveitar?
Quem sabe por um instante, querida.
Meu instante infinito de você.

4 comentários:

Patrícia Harumi disse...

escorre pelos dedos, né?

maria fernanda; disse...

A vida é estranha. Na maior parte do tempo.

Mariana Andrade. disse...

puxe-a pelos cabelos. talvez funcione.

lágrimas do céu disse...

A vida passa e nem ao menos percebemos.